Mostra dos Residentes

Mostra dos Residentes #20 divulga programação

()

Resultado dos trabalhos desenvolvidos nos últimos seis meses de gestão da Secretaria Municipal de Cultura, a Mostra dos Residentes #20 recebe de 21/01 a 01/02 artistas residentes para apresentação de seus processos artísticos e contará, de forma gratuita, com espetáculos, performances, debate participativo, batalha de dança, encontros e conexões, Dançando na Fonte, artes visuais e mais.

MOSTRA PERFORMÁTICA

Tangô

Tango – o corpo histórico

Local: Foyer
21/01, terça às 18h / Gratuito / Livre / 40 min
Redes Sociais: @tangonarua #tangonarua

No tango há algo de trágico, sensual, envolvente. Há algo de felicidade, mesmo que triste e melancólico. É cultura de dança social que se manifesta no baile. A produção cultural nasce destes encontros: um caldeirão no qual as histórias se atravessam com dança, música e poesia.

Meltdown ação #1

Local: Vale do Anhangabaú
22/1, quarta às 17h / Gratuito / Livre / 25 min.
Redes Sociais: @felipeteixeiraemarianamolinos

A partir de uma construção de existência, permanência e ampliação dos sentidos, a ação coletiva própria para espaços amplos reconfigura a paisagem a partir da ação do tempo. A tentativa de seguir sem recursos, de organizar-se coletivamente para sobreviver.

Intérpretes Criadores: Felipe Teixeira e Mariana Molinos

Ter(e)mim vs. 0.1

Local: Sala Plural
23/1, quinta às 18h / Gratuito / Livre / 35 min.
Redes sociais: @coletivoelastica #teremimvs01 #coletivoelastica #movimentoimanente

Processo artístico que está sendo construído por tateios procura explorar as relações de espacialidade e temporalidade no som e na dança a fim de revelar, transpor, extrapor e reinventar o espaço real na fronteira tênue entre ficção e realidade.

Ficha técnica: Coletivo Elástica – Criação e performance: Mariana Costa e
Daniel Conti
Colaboração e provocação artística: Korina Kordova
Colaboração na concepção inicial: Larissa Ballarotti
Apoio: Casa Líquida
Agradecimentos: Ane Tavares, Fernando Toffoli, Julia Feldens, Julia Teles

Metrópole

Local: Sala Plural
24/1, sexta às 19h / Gratuito / Livre / 20 min.
Redes sociais: @vanessa_hassegawa @stephaniefretin

Concepção inspirada na obra “O que o sol faz com as flores”, de Rupi Kaur. As artistas da dança Stéphanie e Vanessa conceberam, junto aos artistas Bru Fotin e Ricardo Januário, uma videodança experimental que relaciona o efeito dos seus próprios movimentos com a cidade de São Paulo e o entardecer da primavera.

Criação: Stéphanie Fretin e Vanessa Hassegawa
Direção de movimento: Ricardo Januário
Instalação de vídeo e direção de videodança: Bru Fotin

Para se ver o que é possível

Local: Sala Seis
25/1, sábado às 19h, 19h40 e 20h20 / Gratuito / Livre / 40 min.
Redes Sociais: @leticiasekito

A performance de dança criada em tempo real tem o intuito de ativar, ressignificar e valorizar espaços internos e equipamentos públicos e institucionais da cidade, dando visibilidade às suas especificidades. Expande a relação público com estes espaços e aproxima as pessoas de experiências poéticas em dança, criando um “intervalo para se ver o que é possível”.

Companhia Flutuante, com criação de Leticia Sekito.

Dissolução festiva: geração z

Local: Foyer e Sala Plural
28/1, terça às 18h / Gratuito / 16 anos / 50 min.
Redes Sociais: @tadziojv @teatrodamatilha #dissolucaofestiva

O espetáculo performativo de dança, música e teatro, com influência do shitposting e do pensamento insurgente, se edifica com os universos de referência da geração z. Procura, num misto de linguagens, expressar uma multiplicidade caótica que convém a vida dos jovens metropolitanos nascidos a partir de 95.

Direção geral: Tadzio Veiga
Direção musical: Vinícius Andrade
Performance de corpo: Débora Silva, Gabriela Vinci, Giorgia Tolaini, Hugo
Leão, Pedro Athié e Tadzio Veiga
Luz: Evandro Zampieri.

Rezo

Local: Vale do Anhangabaú
29/1, quarta às 17h / Gratuito / Livre / 60 min.
Redes sociais: @vnssmrs

Performance duracional em formato de intervenção urbana faz um convite para uma submersão ritualística no próprio “Eu”, trazendo as ervas, a terra, o branco e a busca que nos cede ou negligencia o espelho na psique humana dentro da relação do corpo místico e a cidade.

Criação e performance: Vanessa Moraes

Ummm

Local: Sala Cinco
30/1, quinta às 18h / Gratuito / Livre / 50 min.
Redes Sociais: @inesterra @leticiasekito

Encontro no qual o movimento é valorizado como produtor do prazer, a partir da materialidade do corpo e suas vozes, e suas relações e reverberações no espaço. Criam-se em tempo real tensionamentos entre a prática de exploração corporal/vocal de duas artistas cujo ponto de encontro é o acaso e a elaboração do erotismo como potência de expansão afirmativa.

Criação: Inés Terra e Leticia Sekito

MOSTRA CÊNICA

Existência Mínima

Amores que______

Local: Sala Cênica
21/1, terça às 19h / Gratuito / 16 anos / 50 min.
Redes sociais: @tranzborde @floridofogo

Formado por uma equipe de pessoas trans não binárias, o espetáculo “Amores que______” é um dos trabalhos que integra a Núclea de Pesquiza Tranzborde. Este primeiro ato bem desenhado aborda o desejo por uma visão Spinoziana e anti-psicanalista, desaguando em uma transição que mergulha nas primeiras afetuosidades para despontar no ato limbo/flerte.

Direção: Florido

Existência mínima

Local: Sala Cênica
22/1, quarta às 19h / Gratuito / 18 anos / 35 min.
Redes Sociais: @naciaodetedanca @odetemachado

Diálogo entre a obra da artista plástica Angela Fernandes e a dança, investigando as existências mínimas, o direito de existir e legitimamente ocupar um lugar neste mundo.

Concepção e interpretação: Odete Machado.

Fios

Local: Sala Cênica
23/1, quinta às 19h / Gratuito / Livre / 20 min. + bate-papo
Redes Sociais: @cia queremos saber_artes do corpo @ciaqueremossaber

A proposta é o resultado de um estudo que a Cia Queremos Saber Artes do Corpo desenvolve sobre a dramaturgia do corpo e da dança. A Cia entende que, ao estudar os modos de fazer dança contemporânea, socializar os resultados dos estudos em formato cênico e abrir para uma troca com o público, se contribui para o fomento da produção cultural da dança na cidade.

Intérprete criadora: Paulina Alves
Dramaturgista: Pin Nogueira
Produção executiva: Isadora Massoni
Criação e operação de luz: Clóvis Lima

(Diz)carrego

Local: Sala Cênica
24/1, sexta às 20h / Gratuito / Livre / 50 min.
Redes sociais: @coletivoaraijo #(DIZ)CARREGO #ancestralidade #corporeidade #preto #coletivoaraijo

Neste primeiro experimento, o espetáculo leva à cena possibilidades de como (re)carregar e (diz)carregar as energias, e com isso estimular canais abertos para se curar e (re)começar.

Concepção: Coletivo Ara Ijó
Intérpretes: Amanda Prates, Ingrid Marucci e Thico Lopes

O livro das águas

Local: Sala Cênica
25/1, sábado às 20h / Gratuito/ Livre
Redes Sociais: @betoamorimgomes

A proposta do experimento cênico é associar a liberdade de mover o corpo inspirada pelas dinâmicas de fluxo das águas identificadas por Leonardo Da Vinci, suportadas por uma ocupação do espaço seguindo desenhos geométricos inspirados em ilustrações. Tudo isso permeado por alguns textos do renascentista que usam a metáfora da água para investigar os movimentos da vida e experimentações sonoras realizadas ao vivo.

Concepção e interpretação: Beto Amorim e João Diniz

Ser colo

Local: Sala Cênica
28/1, terça às 11h / Gratuito / Livre/ 30 min.
Redes Sociais: @beatrizmiguezz @larissapretti

Abertura do processo do espetáculo de dança para bebês de 0 a 3 anos e seus acompanhantes (mães, pais e familiares), além de doulas, obstetrizes, educadores e demais interessados em dança para bebês, crianças e no vínculo mãe-bebê. Por meio de uma dança quase simbiótica, as dançarinas mães possibilitam um recorte sensível sobre a relação entre mãe e filha, sobre a fusão destes dois corpos no momento do pós-parto e as descobertas e rupturas de mãe e filha.

Interpretação e concepção: Beatriz Miguez e Larissa Pretti
Trilha sonora: Danilo Gusmão

Pledge funds ou como ela está agora é de cortar o coração

Local: Sala Cênica
29/1, quarta às 19h / Gratuito / 16 anos
Redes Sociais: @katharina.camara

“Somos um constante fracasso e nossas experiências não têm qualidade para compor um post. Mas ainda assim, sobre a floresta um dragão lilás abana a cauda; uma fênix ressurge das cinzas nos corredores de um templo para dizer que sim, você pode! Uma morte lenta e dolorosa por afogamento em poças superficiais; um convite ao mergulho nas águas mais rasas.”

Concepção: desColetivo Morte por Afogamento.

Nous

Local: Sala Cênica
30.1, quinta às 19h / Gratuito / Livre / 50 min.
Redes sociais: @rumosciaexperimentaldedanca

A vulnerabilidade do ser humano nos dia de hoje, o tempo que não espera, o anseio pelo ontem, pelo hoje e pelo que virá após o agora. Os intérpretes permeiam por experimentos em cena e células coreográficas, atentos ao momento presente e a tudo que está ao seu redor.

Concepção: Rumos Cia Experimental de Dança
Direção: Edson Burgos e Carlos Veloso

DANÇANDO NA FONTE

Baile contemporâneo de dança de salão

Mané boneco

Local: Fonte dos Desejos
23/01, quinta às 17h30 / Gratuito / Livre / 40 min.
Redes Sociais: @grupozumbboys

A intervenção dialoga com a beleza e a simplicidade do brincar. Esse é o mais recente trabalho de intervenção urbana do grupo Zumb.boys, inspirado no boneco brasileiro Mané Gostoso, que fez e faz parte da infância de muitas pessoas. Facilmente encontrado nas feiras nordestinas, é feito de madeira com pernas e braços articulados, movimentados por cordões.

Direção: Márcio Greyk de Lima Ferreira
Dançarinos: Danilo Rodrigo Ferreira Nonato, David Castro Serra, Ednelson da
Silva Guedes, Eriki Hideki, Igor Wilson de Souza e Márcio Greyk de Lima
Ferreira

Baile contemporâneo de dança de salão

Local: Fonte dos Desejos
24/1, sexta às 17h30 / Gratuito / Livre
Redes Sociais: @doisrumos

Não é necessário saber dançar para participar do Baile Contemporâneo de Dança de Salão proposto pela Dois Rumos Cia de Dança. A experiência começa com uma vivência corporal que cria atmosfera acolhedora e espontânea ao som de samba, bolero, forró e outros ritmos.

Facilitadores: Andressa Malerba, Camila Aguiar, Carlos Araújo, Fernanda Conde, Kelly Poli e Tony Rubinho

Correspondance à camille claudel

Local: Fonte dos Desejos
30/1, quinta às 20h / Gratuito / Livre
Redes Sociais: @coletivopaisagensflutuantes

O grupo investiga o que afeta as relações íntimas e sociais com o corpo, no intuito de sentir como atravessam e são atravessados pelo outro em espaços diversos, conceituando esses processos como a potência paleolítica feminina, força pré e anticivilizatória.

Concepção e interpretação: Rosana Ribeiro e Marco Xavier

Menino assum preto

Local: Fonte dos Desejos
01/2, quinta às 15h30 / Gratuito / Livre
Redes Sociais: @grupoflyinglow

O espetáculo retrata por meio do corpo o cotidiano do trabalhador e o seu estilo de vida massificante na capital. Cinco bailarinos em cena se utilizam das histórias e poéticas do pássaro nordestino Assum Preto, tema da música letrada por Humberto Teixeira e cantada por Luiz Gonzaga.

Intérprete criadores: Lee Anderson Rodrigues Dos Santos, Ricardo de Assis Ura, Jeff Dos Santos Rodrigues, Enrique Yudi Furucho e Gustavo Teles
FagundesProdutor: Leandro Soares
Sonoplasta: Cristiano Saraiva
Iluminadora: Yorrana Soares

ARTES VISUAIS

Metrópole

Vídeodança – cia queremos saber

Local: Foyer
De 20/1 a 23/1, das 10h às 20h / Gratuito / Livre
Redes Sociais: @ciaqueremossaber_artesdocorpo

Mostra do processo inicial de criação de dois vídeosdança da Cia Queremos Saber_Artes do Corpo: “Cantos”, da intérprete criadora Isadora Massoni, e “Fios”, da intérprete criadora Paulina Alves mediado pela dramaturgista Pin Nogueira. Os vídeosdança serão projetados nas paredes do foyer com a presença das artistas em horários esporádicos, para possíveis conversas sobre os vídeos conforme a necessidade do público.

Concepção e direção: Pin Nogueira – Cia Queremos Saber_Artes do Corpo
Edição: AZA Produções

O sol escondido

Local: Foyer
De 24/1 a 28/1, das 10h às 20h / Gratuito / LIvre
Redes Sociais: @claudiapiassi

O vídeo produzido pelos artistas Claudia Piassi e Edu Guimarães faz parte de “O Sol Escondido”, peça de dança contemporânea em desenvolvimento que se inspira na vida e obra do cantor e compositor Nick Drake.

Artistas criadores: Claudia Piassi e Edu Guimarães
Música: Nick Drake

Vídeodança – metrópole

Local: Foyer
De 29/1 a 01/2, das 10h às 20h / Gratuito / livre
Redes Sociais: @vanessa_hassegawa @stephaniefretin @brufotin @ricardojanuario

A concepção de “Metrópole” é livremente inspirada na obra “O que o sol faz com as flores”, da autora Rupi Kaur. As artistas da dança Stéphanie e Vanessa conceberam, junto aos artistas Bru Fotin e Ricardo Januário, uma vídeodança experimental que relaciona o efeito dos seus próprios movimentos com a cidade de São Paulo e o entardecer da primavera.

Criação: Stéphanie Fretin, Vanessa Hassegawa e Bru Fotin
Direção de movimento: Ricardo Januário
Direção de vídeodança: Bru Fotin

WORKSHOPS (RE)SIDIR, EXISTIR

Salinas

Corpo sensível

Local: Sala Sete
28/1 às 19h30 / 16 anos / 20 vagas
Inscrição via formulário (clique aqui)

Prática de dança na qual os participantes serão convidados a ampliar sua consciência corporal a partir de experiências que despertam o corpo para sentir, perceber e conhecer por meio de um processo autônomo no qual serão agentes ativos na investigação do corpo e do movimento expressivo

Ficha Técnica: Artista criadora – Sílvia Regina Gaspar.
Fotógrafo: Flavio Titus.

Ensaio aberto: salivas

Local: Sala Plural
29/1, quarta às 20h / Gratuito / 16 anos
Sem necessidade de inscrição.

O trabalho é tentativa de tornar corpo uma espécie de subjetividade feminina, grotescamente esquecida, que é suporte e estrutura de um imaginário coletivo. A carne, gordura, baba tomam espaço central da investigação, propondo atravessamentos entre qualidades corporais obscenas e dissidentes.

Artista criadora: Emilene Gutierrez

Dança em (des)contexto

Local: Sala Três
30/1, quinta às 15h / Gratuito / 16 anos / 15 vagas
Para inscrição, envie e-mail com carta de interesse para
[email protected] até dia 21/1

Oficina de criação em dança com texto teórico e imagens utilizadas pelo desColetivo. O trabalho de corpo levará em consideração repertório já conhecido dos participantes, bem como coreografias do grupo e momentos de criação individual. Haverá ao final da oficina uma pequena mostra entre os participantes.

Sobre o CRDSP

O Centro de Referência da Dança é um equipamento público da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo que promove a interação e o diálogo entre as poéticas e estéticas na multiplicidade das artes em relação à cadeia produtiva da dança: pesquisa, criação, difusão e formação. Espaço relevante para a dança na cidade, refletindo uma ótica de política pública inovadora no que diz respeito ao seu formato de gestão compartilhada que, em conjunto com a Cooperativa Paulista de Dança, através do projeto Transversalidades Poéticas, caminha cada vez mais para um modelo participativo.

Serviço

Mostra dos Residentes #20
De 21 de janeiro a 02 de fevereiro de 2020
Local: Centro de referência da Dança
Galeria Formosa Baixos do Viaduto do Chá s/n – Centro Histórico de São Paulo, São Paulo – SP
Informações: crdanca.prefeitura.sp.gov.br
Instagram: @crdancasp

O que achou dessa matéria?

Clique para classificá-la!

Classificação média / 5. Contagem de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar esta postagem.

Já que gostou da matéria

Siga-nos nas redes sociais!

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x